gabriela-polaroid

Massada de cabeça de Garoupa (Serve 6 pessoas)

Ingredientes:

300gr p/pessoa de Garoupa (posta e cabeça)
500 gr Massa cotovelinho pequena
1 kg camarão médio congelado
4-6 tomates médios maduros
1 pimento vermelho
1 pimento verde
2-3 dentes de alho
2 folhas de louro
1 cálice de vinho branco
Sal e pimenta a gosto
Azeite

Preparação:

Dica:
Peça para cortar a Garoupa em postas e a cabeça em pedaços generosos.

Uma hora antes:
Disponha o peixe num tabuleiro e tempere-o com sal grosso. 

Antes de começar a preparar o refogado retire-lhe as espinhas do meio, somente das postas, (mantenha a pele) e reserve-o. Retire a casca ao camarão (mantenha a cabeça), apare as barbas e reserve tudo. Coloque as espinhas de peixe e as cascas do camarão num tacho à parte e deixe ferver bem para obter um caldo de peixe.  Coe e reserve quente.

Corte o tomate, a cebola e o alho em pedaços generosos. Os pimentos corte-os em tiras finas.

Num tacho de diâmetro largo faça o refogado com o azeite, a cebola, o alho e o louro. Quando a cebola estiver dourada adicione o tomate e o cálice de vinho branco. Envolva bem todos os ingredientes e deixe ferver. Quando o tomate estiver cozido (4-5 min), retire o louro e desfaça tudo com a varinha mágica. 

Adicione um pouco do caldo de peixe que preparou e coloque os cotovelinhos (uma chávena de chá por pessoa). Mexa bem para envolver a massa. Quando esta estiver a meio da cozedura (aprox. 3-4 min) passe o peixe por água, retirando-lhe o sal, e junte-o à massa. Mexa novamente com parcimónia para não desfazer o peixe.  Acrescente os pimentos e caldo de peixe q.b.  e de acordo com a consistência que desejar. Tempere com sal e pimenta.

Quando estiver quase pronto junte os camarões e deixe-os cozer por 1-2 min.

Está pronto a servir. 

 

Gabriela Pereira

Mesa de afetos

Foi com o pai que Gabriela despertou a curiosidade pela forma como as coisas crescem e se cozinham. Foi por osmose que ganhou a mão para a cozinha. Eduardo, o pai, faz parte das suas referências assim como a Tia Dulce. É no Carvalhal, em casa do pai, que carrega as baterias e encontra as suas memórias, gastronómicas e não só. E também é nesta casa que cozinhar se torna uma responsabilidade – fazer a massada de cabeça de garoupa para o pai e para a tia é tentar superar-se para chegar ao nível da perfeição, já que esta receita é o ex-libris dos dois. Com ou sem perfeição, é nesta mesa de família que se senta entre de sabores, memórias e afetos.

Saiba mais sobre este projeto AQUI:
Partilhar
Facebook Twitter Mais